quarta-feira, 10 de abril de 2013

Do Oriente vem Haruki, e trás com ele um macaco






No outro dia recebi um e-mail dela a meio da manhã. Pedia-me que quando fosse almoçar com Haruki a convidasse. Disse que sim. Mas seria complicado, eu não conhecia Haruki. E não sei se gosto do tipo. Dos livros, sim. Curiosamente a oportunidade proporcionou-se. E eu tinha reservas, ele tornar-se-ia, para mim, um Hemingway ou um Fitzgerald? Liguei-lhe e perguntei-lhe se ela queria ir lanchar comigo e com Haruki. Claro, Claro, respondeu-me entusiasmada. À hora combinada lá estávamos os 3 à mesa. Haruki pediu um chá verde e eu um cappuccino. Ela preferiu uma limonada de frutos vermelhos. Ele não fala muito. Mas gosta de observar. O que foi chato, porque sentia-me a ser observado com aqueles olhos pequeninos. Ela falava com ele eternidades. O tipo é simpático. Isso tenho de lhe dar de barato. E serve o chá em goles pequeninos. Nos pés tinha uns New Balance cinzentos. Daqueles à turista japonês. Achei piada. Depois virou-se para mim e perguntou se eu escrevia depois de correr. Abri muito os olhos e disse que não. Porquê? Insistiu. Ora, não sabia o que responder. Tentei um, depois estou cansado. Ele disse um ahhh, mas um ahh de não ter ficado satisfeito. E escreve sobre o quê? Voltou-me a perguntar. E de repente tanto ele como ela olhavam para mim à espera de uma resposta. 



5 comentários:

Andy disse...

Então há que experimentar escrever depois da corrida... E ver o que acontece

Sue disse...

Foi um lanche muito agradável, temos que repetir? Sabes se o Clooney tem a agenda livre? ;)

E disse...

Não consigo. Algo que me pára o raciocínio. Mas posso sempre tentar. Mais uma vez.

E disse...

Não sou relações públicas. Daqui a um mês, Passa pela sua Villa em Itália e pergunta-lhe se ele quer ir lanchar contigo.

Sue disse...

Challange acepted! :P