terça-feira, 23 de abril de 2013

Imitei Woody Allen

Foi a minha mãe que me mostrou Annie Hall. E uns anos mais tarde li um livro de Woody Allen, Side Effects. E tudo se conjugou. Gostei do tipo. O actor, o realizador e o escritor. Na parte do jazz na altura não apreciei. Mas se ele tem Manhattan eu tenho Lisboa.

Acordei Sábado perto das onze. Despachei-me em silêncio. Só os sons da casa. As portas e a água da torneira e os passos do Gato Preto. Sai para a rua com os Wayfarer na cara. Máquina a tiracolo e fui até ao rio.
Decidi comer alguma coisa na Delidelux. O expresso em cima da mesa, o rio em frente com o sol por cima. Um café, um sumo de laranja, um croissant, um iogurte com cereais e mel. E depois apreciei as massas italianas, os queijos, os chás, os bolos e biscoitos. E gostava de levar metade para casa. Imagino o jantar que fazia para amigos. Com um vinho tinto, o meu preferido. E até penso na música que colocava durante o jantar.Uma lista onde tocavam os The Smiths, os Queens of the Stone Age e os The National.
Venho para a rua e sigo pelo rio. Faço uns disparos. Vou até a Baixa. Entro numa tasca para beber mais um café. E subo para o Castelo. Por escadinhas em becos. Com grafitis nas paredes. Cheiro de comida no ar. Varandas portuguesas. Jarros e vasos nas janelas. Uma senhora com um gato olham para mim.

6 comentários:

CAP CRÉUS disse...

Esses passeios são do melhor.
De vez dou uma escapadinha por Lisboa para os disparos.

E disse...

Eu por vezes nao sei com que maquina fazer os disparos. A digital é muito bom, permite-me controlar quase tudo e ter um resultado praticamente automático. A analógica é mais orgânica. Mas mais caro a utilização e menos imediata.

CAP CRÉUS disse...

Vê lá que comprei pelicula a preto e branco para a analógica e ainda não sai com ela :-)

margas disse...

Eu ia ler este post, mas depois falaste de Woody Allen na segunda frase...

E disse...

O meu vai a revelar esta semana

E disse...

Ts ts ts ;)