quarta-feira, 1 de maio de 2013

Caro Monsieur, o MEC faz-me repensar nisto



Rasgo as folhas. Deito os cadernos fora e apago os documentos word. Volto para o sofá e ligo a televisão. No intervalo vou simplesmente continuar a ler.

Ouvi há uns dias a entrevista que o MEC deu para a Prova oral do Alvim. Ouvi enquanto fui a pé para o trabalho pelo podcast. Hoje no hiper vi a re-edição do Amor é Fodido. Coloquei debaixo do braço e vim-me embora. Li o livro pela primeira vez há alguns anos quando me emprestaram. O livro e o MEC são os responsáveis por um dos textos que mais visitas teve

Mas depois, é com aquele livro que me devia deixar disto. Fechar o blog e ir-me embora. Deixar as coisas para quem sabe. Como aqueles putos que lá no bairro são os melhores jogadores do mundo. As miúdas vão ao terreno baldio para os ver jogar. Admirar as pernas e eles ali todos inchados. Depois aparece alguém que sabe como é e mostra-lhes que afinal não são nada daquilo que pensam. Eles agarram na bola e vão para casa chorar. E eu sei do que falo. Achava que era muito bom. O melhor da minha rua. Afinal era simplesmente banal. Como os ovos mexidos que sei fazer. Não são os melhores ovos mexidos. Apenas uns simples ovos mexidos. 

Por vezes acho que sei escrever. E fico contente. Penso que afinal, sempre sei fazer alguma coisa melhor que uns ovos mexidos fraquinhos. Mas logo a seguir o MEC mostra-me que não. Mostra-me todos os dias no Público, mas com este livro dá-me chapadas para eu perceber de vez.

6 comentários:

margas disse...

Esta tua linha de pensamente está muito boa, sim Sr! Mas também não te menosprezes que ao pé do MEC muito escritor publicado que para aí anda não vale nada!

E disse...

Nao, sei nao

ana disse...

eu não li o MEC e estou a lê-lo a si

E disse...

O MEC iria ficar zangado.
E, por favor, o tratamento por vocês é que não ;)

Dancing Queen disse...

Quando acabei de ler o "Como é linda a puta da vida", na semana passada, escrevi um post no meu Facebook que dizia, por outras palavras, exactamente o mesmo. É que eu também acho que sei escrever. Depois volto ao MEC e passam-me as manias - diria que é um bom estímulo para ler mais, muito mais, de tudo, ser mais atento (ainda) à Vida e depois fazermos uns exercícios, só para concluir que não somos génios, puramente admiradores. Ainda assim, gosto de o ler a si. A ti.

E disse...

Sim, é isso, um estímulo para escrever mais.

E no fim, mesmo no fim, está correcto, o tratamento por tu ;)