terça-feira, 22 de outubro de 2013

O Segundo Livro Da Vida Que Inspirou O Primeiro

Todos temos livros preferidos. E depois, quase todos temos aquele livro que quase toda a gente leu. Os Filhos da Droga ou Viagem ao Mundo da Droga incendiaram opiniões. A droga, aquele mundo palpável de destruição, em páginas de livros escritos pelos próprios. Li os dois. Tornaram-se livros de referência para mim. Ainda que não os conte como preferidos, não os posso ignorar. Como também não posso ignorar Com Cavalo Também Se Abatem, este português.
 
E agora, A Filha da Droga, cresceu, e conta-nos, mais um vez, a sua vida. Mas aquela depois do primeiro livro. Como foi crescer, ser mãe, viajar e mostrar-se ao mundo, quando o mundo queria saber quem era a pequena Christiane que aos 13 anos se drogava e vendia o seu corpo.
 
 

2 comentários:

melody disse...

Cresci a ouvir falar nos Filhos da Droga. É um dos que está lá na biblioteca de casa. Mas nunca lhe peguei... Não sei porquê. E também tenho o Viagem ao Mundo da Droga em hold, mas esse apenas porque comecei a lê-lo demasiado cedo...

E disse...

Acho que, também, são livros que devem ser lido quando somos mais novos para ter um maior impacto. E tiveram o impacto que tiveram quando não havia este acesso a toda a informação e conhcecimentro que, afinal, o mundo é uma merda.

Mas, dos três, aconselho, ainda assim, o português, porque a realidade é-nos mais próxima.