segunda-feira, 21 de outubro de 2013

What About A Selfie?




Acho que acontece a todos. Queremos comprar alguma coisa mas não temos certeza. Levamos para o provador, experimentamos e tiramos uma selfie. Aquilo serve como material de estudo e de decisão. Por vezes aparece no instagram. Ou no facebook. Ou surge num post - para quem tem blog. Talvez, para alguns, um ou outro comentário com um muito fixe, fica mesmo bem. E ali anda a matéria de estudo ou análise ,ou o raio que o parta, a cumprir a sua função. Para uns, aquela selfie é o mais perto de se ter o que se experimentou. E, curiosamente, basta aquele momento de pertença. Criar a ilusão para quem vê de que depois da selfie se foi para a caixa pagar o que experimentou. É um consumismo insta-que-era-tão-bom-mas-já-chega-não-quero-mais.  A verdade é que a peça volta para o cabide. Ou entrega-se à menina que não se vai levar.

Há uns dias fui lanchar com a minha mãe depois do trabalho - contei essa história aqui. Depois ela queria ir ver uma mala. Uma mala pequena. Ou média. Mas uma mala. Eu achei curioso depois do que me tinha dito. Não me importei e fui com ela. Subimos a Avenida de braço dado. Uma coisa que gosto é de passear com a minha mãe de braço dado. Entramos na Prada, era onde ela queria ir. Enquanto ela via o objecto dos seus desejos, uma senhora de pumps pretos, alta, magra, ruiva e bonita falava para o Iphone à sua frente bem alto. Parei de jogar ao Bubles e pelo canto do olho olhava para a senhora. Primeiro pensei que estava a tirar uma selfie. Depois vi que era a selfie versão 2.0, estava a filmar-se e a falar com alguém por facetime. Era material de estudo e de decisão mais avançado. Com opiniões imediatas e na hora.

Não sei se a senhora comprou ou não o que estava a mostrar.

A minha mãe, cujo telemóvel é apenas para receber sms (nunca envia uma) ou fazer e receber chamadas quis voltar noutro dia com o meu pai.


2 comentários:

melody disse...

Tão verdade - tudo isso. E eu devo ser das poucas pessoas que ainda não aderi totalmente ao facetime. Mas sim, selfies nos provadores da loja? Guilty!

E disse...

Confesso, o Facetime só de tempos a tempos. Mas todos tiram selfies. Todos. Qualquer dia apanho a minha mãe a tirar uma.