quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Devaneios




Houve uma altura em que ouvia Black Fag e achava que o punk era o caminho as massas eram gente acéfola de ideias. Hoje, oiço Bach, gosto de pintura renascentista, não escondo que Morrisey é, possivelmente, o melhor cantor vivo e em Washington Square Park pedi um skate emprestado. Entre o Punk, Nova Iorque e Supreme é uma ligação fácil de se fazer. Como isso se junta a MMM, é mais difícil de explicar. Em Milão entrei naquela que é a sua melhor loja que visitei. A rapariga que estava lá sorriu como se me conhecesse. Como se fossemos dois entre iguais mas diferentes.


6 comentários:

Anónimo disse...

Time is a vortex, E. Também eu amei um dia os Impressionistas até descobrir Caspar Friedrich e Pieter Claesz. Quanto ao Morrisey, de pleno acordo. Shoplifters of the world unite and take over! Ah, e quanto às massas - já não parecem acéfalas aos seus olhos?

S* disse...

Que elegante.

melody disse...

E assim, juntando todas essas pequenas características, chegas ao dia de hoje e ao Ego de hoje em dia. Não é bom ver como construímos o nosso ser com esses pequenos detalhes...? :)

E disse...

Anónimo,

As massas agora não me parecem acéfolas, mas sinto imensa curiosidade por elas. Continuo, no entanto, a não lhes compreender certos gestos, gostos ou preocupações. Mas, talvez seja eu que esteja errado.

E, lamento, mas o meu gosto continua a ir para os impressionistas. E morrisey, claro.

E disse...

S*

;)

E disse...

Melody

O grande tema da evolução ou a continuação do desenvolvimento do nosso eu, é sempre interessante.