quinta-feira, 20 de março de 2014

Amor Não É

Tudo aquilo que se escreve que é. Não é fogo. Não são borboletas. Não são lágrimas. Não são risos. Não são fodas. Não são poemas. Não são cartas. Não são músicas melosas. Não são músicas arrebatadoras.

Mas não deixa de ser isso tudo.

Amor é ação. Constante. Contínua. Amor é prática. É realidade diária do que se faz a quem se faz com o prazer e gosto de se fazer. É o beijo de manhã. O abraço à tarde. O sexo à noite. Tudo feito sem se dizer que se faz. Fazendo-se apenas porque se quer. Porque tem de ser. Bem cá de dentro nos obrigamos ao que fazemos quase sem controlo.

Amor não é dizer 1500 vezes amo-te. Amor é mostrar 1500 vezes que se ama. Palavras leva-as o vento. Leva-as a memória quando aquilo tudo que nos lembramos nos faltar. Mas a mão na mão. Na palma de pele gretada pelos anos está lá. Para se sentir em movimento, em presença, no presente. Fazendo. Sentindo. Amando.  

2 comentários:

Iva Araújo disse...

Não podia concordar mais! Isto está tão bom que merece ser partilhado... Não vejo ninguém a falar de amor de uma forma tão crua e nua nos últimos tempos. É tão verdade que até doi ;)

E disse...

O meu objectivo é tornar-me o novo MEC (esotu a brincar).

Obrigado.