quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Com a idade muda algumas coisas

 
As t-shirts continuam a estar dobradas na gaveta. Por cores. Umas em cima das outras. As que mais gosto ao lado das que menos gosto. As com desenhos e as lisas. Estas são em maior número. Alias, as outras são apenas 3. Com tempo comecei a utilizar camisas. Parece que os anos trazem o pedido de um colarinho. E as camisas começaram a crescer. Gosto delas Oxford. Como gosto de ténis simples. Normalmente são americanos. As jeans são francesas. De uma ganga mais selvagem, acho que é assim que se diz. No outro dia levava no bolso do casaco militar verde o livro. Parei no Jardim do Arco do Cego. Coloquei a bicicleta no chão e ali, sentado na relva de pernas cruzadas li um bocado. Só me levantei quando a luz tinha perdido para a lua. Estava frio. Ainda mais frio. O jardim estava quieto. Mais algumas pessoas ao canto com um pacote de vinho faziam dos bancos encostos. Senti-me um outsider. As luzes douradas dos carros e das casas já se espreguiçavam. Os que andam na rua são um Bando of Outsiders. Assim como a camisa que tinha vestida.

2 comentários:

catarina gouveia azevedo disse...

escreves tão bem! parabéns, outsider.

E disse...

Obrigado ;)