segunda-feira, 25 de março de 2013

Vou insultar muita gente. É de propósito!

Há pessoas que gostam muitos dos seus animais. Dos cães. Dos gatos. E até das tartarugas. Quando morrem escrevem no Facebook RIP com uma imagem do falecido. Normalmente são fotografias bonitas. Mas a seguir vão comprar um bilhete para a tourada e dizem que é tradição e cultura.

Não consigo conceber uma tradição e uma cultura onde se faça sofrer um ser vivo. Tal como não consigo conceber ou perceber o fundamento para julgar dois homens diferentes baseando-se apenas na cor. No credo. No que gostam de fazer na intimidade. Se quem julga a diferença entre o homem é estupido e ignorante. Quem julga o animal pela sua diferença também é estupido e ignorante. Mas pior, é um hipócrita!

O touro é um animal como os cães, os gatos e as tartarugas que se tem em casa. Sofre e tem sentimentos. Sim, sentimentos. Os cães ficam contentes quando vêm o dono. Assustados em várias situações. Principalmente quando vão à rua em pequeninos. É muito movimento para eles. Ruido. Com os Gatos o mesmo. As Tartarugas escondem-se na carapaça. Os touros investem. Mas aí todos se levantam nas bancadas em gaudio. Mas em casa percebem quando o cão esta triste. Quando o gato esta com medo. Mas ali são bárbaros a vibrarem com o sofrimento.

Não sou dos que acham que os animais têm direitos. Sou dos que acha que os animais são objecto de direitos. Não sou dos que acho que têm direitos devido a uma construção jurídica: tem direitos quem tem deveres. E os animais não podem ter deveres para connosco. Está para lá da sua esfera de compreensão. Mas não os podemos julgar porque nós muitas vezes não compreendemos a nossa realidade. Mas acho que todos andamos cá ao mesmo, a tentar sobreviver da melhor forma.

O touro sofre. Se não for fisicamente, o que tenho muitas dúvidas, é psicologicamente. Na primária todos fomos gozados em determinada altura. A turma inteira a gozar connosco. Por motivos estúpidos, muitas das vezes. Como é que se sentiram? Agora imaginem que estão numa arena. E além de gozarem convosco ainda vos vão espetar merdas nas costas. Talvez naquele momento não sintam nada. Mas mais tarde vão sofrer. Afinal, aquilo que escorre nas costas é sangue.

Não acho que o mundo deva virar vegetariano. Isso é com cada um o que leva à boca. Mas se acham que é legitimo comer boi ou vaca, no outro lado do mundo é legítimo comer cão e gato. É tudo uma questão de perspectiva. O homem precisa de comer. Precisa de se alimentar. Mas não precisa de fazer sofrer. Não precisa de vibrar com o sofrimentos dos mais fracos. Não façam aos touros aquilo que não gostavam que fizessem aos vossos gatos e cães.

Se gostam de cães e gatos, lhes dão banhinho, boas comidas, fazem festas, tratam-nos bem, mas depois vão à tourada, lamento. São ESTUPIDOS!


Se tourada é cultura, canibalismo é gastronomia
Maestro Vitorino de Almeida

5 comentários:

nAnonima disse...

sabes que muita gente nos apelida (porque eu penso como tu) de betinhos da cidade, que não sabe do que fala, salvadores de sofá... eu aceito os nomes, não aceito é as touradas, as corridas de cães e cavalos (que só alguns sabem o sofrimento que para lá vai), porque com base na cultura e na tradição, já se mandaram cristãos para os leões da arena e mulheres para a fogueira...

Silvia disse...

Há um site (tumblr) que se baseia simplesmente numa cadela (a Maddie: http://maddieonthings.com/) em locais por todos os USA ora em cima de coisas, ora ao lado de coisa, etc. Well I'm not ok with it. Sim, a cadela é adorável, mas o que não deve ser chato para ela ter que estar ali a fazer pose para a foto? E aqueles que se aguentam teeeeeeeeeeeeeeeeeempos infinitos com o biscoito na ponta do nariz? Eu bem vejo pelas minhas o que custou conseguir que sentassem, dessem a pata e fizessem o number 1 and number two no jardim, imagino o que estes não passam.

E disse...

andei numa faculdade de betos. e betos gostavam de tauradas. Não eu. Acho estupido. A tradição é uma desculpa parva. Um não argumento.

E disse...

Isso também é fazer sofres os animais. Não percebo e não entendo. Acho que nos faz jus, como humano. A palavra de ser humano tem também a ver como tratamos os animais.

Anónimo disse...

Abomino touradas, zoos e circo com animais.

Maya