quinta-feira, 18 de abril de 2013

A estrada é de todos



Não tento convencer ninguém a andar de bicicleta. Digo muitas vezes apenas porque é que eu ando. Porque é o meu meio de transporte. Não é o fato que me impede. Não é a gravata .E de certeza que não é o status quo. Tal como não tento convencer ninguém, também não sou fundamentalista. Pedalo quando me apetece. Quando quero. E quando sei que o dia vai permitir. Na minha rua havia um tipo que me via pedalar pela manhã de fato e gravata e me chamava excêntrico. O meu irmão goza com a minha single speed mas pede sempre para dar uma voltinha.

Há quem não goste que eu pedale. Dizem que é perigoso. Eu digo que não. Mas a verdade é que não é como eu digo nem como eles pensam que é. A verdade é que há ainda muito a fazer em termos de consciencialização. Tem de haver muito respeito que não existe. Todos os dias sou alvo de razias de carros perfeitamente evitáveis. Todos os dias sou alvo de olhares de fúria pelos condutores de caras tristes. 

A estrada é de todos. A bicicleta tem de andar pela estrada ou pelas ciclovias. Estas últimas em Lisboa são uma anedota. Logo restam-nos as estradas. As bicicletas com trânsito fluido são mais lentas. Por isso tem de haver paciência. Os carris são armadilhas, por isso pedala-se pelo lado esquerdo. Se isso incomoda, é verdade, mas é uma questão de segurança. Pedalar tornou-me um condutor mais tranquilo e mais consciente.

Mas do lado de quem pedala tem de haver também consciência. Pela segurança de quem pedala. Para criar habituação em quem anda de carro e nos vê. Existe sempre dois lados. E todos vamos pelo mesmo sítio. É só uma questão de sabermos viver todos. Porque no final do dia todos vamos querer chegar a casa. Uns mais rápido. Uns mais felizes.

6 comentários:

Maria Pitufa disse...

Eu tenho que confessar que acho que nunca era capaz de andar de bicicleta em Lisboa...acho sempre que pelo caminho era atropelada!

E disse...

Nao te
Preocupes. Pedala com calma e co precaução que os condutores farão o mesmo

CAP CRÉUS disse...

É preciso é praticar. Ter juizo e nunca deixar de refilar quando temos razão :-)

E disse...

Sim, e pedir desculpa quando erramos.

start disse...

Eu já fui abalroada por uma senhora que para não bater num carro, mandou-me a mim para cima do passeio... não foi bonito. Fiquei sem andar em condições durante umas semanas e a senhora foi à p*ta da vida dela sem sequer querer saber se eu tinha morrido.

E disse...

é assim que falta muito. essa falta de respeito ainda é, infelizmente, constante.