domingo, 12 de maio de 2013

Casa





Mudei de casa várias vezes. Mudei a casa outras tantas. Já vi amigos mudarem-se de casa e mudarem a casa. E todas as casas são as casas deles. Tal como, imagino, a minha casa seja a minha. Paredes e espaços vazios transformados em paredes e espaços humanos com objectos inanimados. Nascem sofás, criam-se televisões, cultivam-se tapetes. Cria-se vida. E a nossa desenvolve-se ali.

4 comentários:

margas disse...

Este texto faz-me o porquê de nunca ter percebido aquelas pessoas que contratam decoradores de interiores!

E disse...

É por aí, sim. Queres a vida de outra pessoa na tua casa?

Uena disse...

Há pessoas sem gosto nenhum.

E disse...

têm, têm é lá o gosto delas :P