sábado, 14 de dezembro de 2013

O Fim De Uma Era

Ao se ver Nike e New Balance nos pés de tipos de fatos em Florença e nas semanas da moda não deixa de se sentir uma certa apropriação ilegítima. O sentimento de um olhar mainstream que se coloca na Obey, Carhartt, Supreme, Nike, não deixa de incomodar os antigos utilizadores.

Escrevi isto há uns tempos. E agora, ainda que com um outro sentido, vto a escrever. 

Acabou a era dos blogs anônimos!

Foi o que me disseram esta semana. Soou-me a aviso, a professia bíblica de nos salvarmos enquanto é tempo. E talvez seja verdade. Olhar para os blogs será ter, de uma certa forma, um olhar antropólogo. Uma evolução, uma necessidade de comunicação de gente sem meios técnicos e outros de comunicar na era do 2.0. Uma espécie de no inicio era o verbo de quem só tinha a palavra como produto. 

Tempos passaram. Visualizações cresceram. Novas vozes, por vezes rostos, apareceram. Rostos de pessoa comuns. conhecidas nos cafés do bairro. Nas mercarias da rua. Mas rostos sem nome e história. Alguns ganharam renome. Os seus nomes, até, fora engolidos pelo nomes de código. A lógica construida desde a longínqua Hollywood estava a subeverter-se. Desconhecidos tinham seguidores, eram vozes que fomentavam opiniões. originavam discussões. A par, os reality shows mostravam outros anônimos, mas com rosto e vidas dissecadas em público enquanto fechados numa jaula de écrans de televisão. Era a época do anônimo. Do poder de quem não era famoso. Assim, cru e duro. 

Mas o brilho do vedetismo havia de chegar. O olho que tudo vê, uma espécie de Sauron do mediatismo e da necessida de ser relevante havia de chegar. 

Acabou a era dos blogs anonimos. 

Cá e lá. Os que já se sabe quem são. Os que ja têm um rosto e um nome, da televisão, do cinema entraram na web. Sites disfarçados de blogs encheram-se de conteúdos para elevar a sua persona a um outro nivel. Eles já tinham os sites. Mas queriam os blogs. Os anónimos que nunca tiveram sites mas blogs, tornaram-se nos sites que eles, os famosos, queriam ter. Um carrocel de roda viva em que onde tudo começa e tudo acaba não tem sentido nem lógica. 

Acabou a era dos blogs anónimos, disseram-me. E eu não aceditei. Mas numa passagem rápida vejo que Nike, New Era, Supreme, marcas de rua estavam, agora, também, nesses sites tornados blogs. E a professia bíblica talvez seja verdade. De sete em sete anos o mundo muda. Talvez seja agora. A época de mudança. 

2 comentários:

Iva Araújo disse...

Eu penso que não acabaram! Este blog continua anónimo e para mim é essa a piada, o misterioso é mais divertido.
Já me cruzei com vários "bloguers" que sigo na rua e tive vontade dde os cumprimentar mas há um código qualquer na minha mente que o impediu, não sei explicar. Talvez o encanto da sua escrita se quebrasse.
Enfim, coisas...
Neste cantinho, não sei se já nos cruzámos ou não e sinceramente não quero saber porque vai custar-me ver que uma pessoa tão ordinária, tão comum pode escrever de forma tão mágica ;)ou então posso tornar-me uma stalker da pior espécie LOL

E disse...

Estás a chamar-me ordinário? ;)

Percebo perfeitamente o que queres dizer.