terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Matilde

Tem ao almoço marcado com a menina Vera. À tarde tem uma reunião com o Dr. Luis Santos. E depois prazos que estão a correr para relatórios. Mas nenhum tem o prazo a terminar. Quer estipular a ordem?

A voz soa-lhe a jasmim do perfume que manda vir pela internet. Até há uns anos largos fumava. Mas moldou-lhe o timbre. É sempre nisto que penso. Porque a sua voz combina com a do paizinho, cheia de fumo quente do charuto. Contou-me como deixou de fumar. Primeiro reduziu, disse-me, antes de engravidar. Depois, deixou por completo.  Foi num dia que entrou com um copo de água quando eu estava a ter um ataque de tosse seca. Dura. Bruta. Disse que também eu devia deixar de fumar, ainda era novinha, eram as palavras dela. Quando contei isso à Vera a sua reacção foi acender um cigarro. Mas sabem bem, foi o que me disse. Além de que, continuou a Vera, ela queria estabelecer laços contigo. Não te esqueças, tu és a chefe. A quem ela admira, apesar de ser mais velha. Ela vê o cu estar cada vez mais caído todas as manhãs. O teu não. O dela só lá fica em cima com os saltos altos baratos que compro. Ela admira essas tuas mamas cheias ainda com tesão para muitas chupadas. Aposto que tem o marido a ver pornografia escondida á noite. Uma coisa nunca mudou, Não se podia esperar que a Vera fosse doce a dizer o quer que seja. 

4 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
E disse...

Tens toda a razão.

Obrigado.

Anónimo disse...

Boa noite,

Por favor, apaga o meu comentário anterior. O texto está excelente e tenho a certeza que o erro foi cometido por simpatia com o "fosse" imediatamente antes.

Já agora, aproveito para te dizer, que sou frequentador assíduo do blog e os meus parabéns pelo mesmo.

Keep up the good work.

Cump,
Paulo

E disse...

Bom dia Paulo,

apago-o, apenas, porque o pediste. Por norma deixo sempre todos os comentários. Mas continuas a ter razão, é um erro daqueles.

Cump.