sexta-feira, 1 de março de 2013

Love me too!



Quando chego a casa ele mia. Quando abro o portão da casa branca do outro lado do rio eles saltam e ladram. Todos querem o mesmo. E só isso. Uns minutos. Em casa sento-me no chão à entrada e passo-lhe a mão pela cabeça. O Gato preto deita-se e oferece-me a barriga. Depois sigo para dentro e ele vai atrás sempre a dar pequenas cabeçadas de atenção. No outro lado do rio rio-me com eles aos saltos para serem os primeiros. Haverá tempo para todos. Corro. Volto atrás. E eles estão contentes de festas e atenção. Por vezes o que mia e os que ladram encontram-se. Não são encontros desastrados e com medo de algum lado. São encontros de velhos amigos.

Aqui gosta-se de animais. Aqui os animais são entendidos como parte da família. Aqui sabemos que são animais. Animais que têm nome. Animais que levamos ao médico quando estão doentes. Animais a quem damos a comida que é melhor para eles. Animais que se deitam e levam festas. Aqui não se percebe como se pode fazer mal a um animal. Porque quem faz mal a um animal que apenas pede carinho é capaz do pior. Aqui não se espera que todos gostem de animais. Aqui não se espera que todos adoptem um animal. Aqui pede-se tolerância quando vierem um cão a atravessar a estrada, pode estar perdido no meio das regras do Homem. Aqui pede-se tolerância quando de manhã um gato estiver em cima do capot, pode ser o único sítio quente que encontrou para dormir. O Gato preto e os 6 cães deste lado agradecem, são amigos deles.

3 comentários:

Silvia disse...

ALL THE PUPPIES!!! (I'm way to allergic to cats, sorry)

Infelizmente só tenho 3, mas estou em processo de convencer os interessados que mais um é na boa! :D

E disse...

O gato vive comigo, os cães vivem noutra casa. Mas quero juntar um cão ao gato. Falta convencer o senhorio

Bombocaa disse...

:)