segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Lord Oh Lorde

Não me recordo de quando ouvi Lorde pela primeira vez. Julgo que pela Radar. Ela, ao meu lado, aumentou o som. Gostei da voz. Gostei da melodia.
 
Há uns dia vi que a Time tinha eleito Lorde como a adolescente mais influente no mundo. Bateu Justins e Mileys. Gostos não se discutem nem se julgam. Mas este influente é mais abrangente que a melhor estrela pop adolescente. Mais abrangente que ser a adolescente que vende mais álbuns. Influente é transversal.
 
E Malala?
 
Malala, jovem, menina, mulher, de fé, ousou falar onde não devem falar os jovens e muito menos as jovens meninas. Lutou com palavras. Apelou a um bem. A uma paz. A uma tolerância para os credos. Para os géneros. Malala não canta - pelo menos não se a ouve cantar - não passa na rádios. Não tem maquilhagem. E tem uma echarpe sempre sobre si. tem o corpo com marcas de balas. E tem um coração enorme. 
 
Mas não é, infelizmente, a adolescente mais influente no mundo. Não vende. Não faz lucrar.
 
E eu gosto de Lorde. Mas gosto de ter esperança também.  

4 comentários:

melody disse...

Não anda na boca dos midia.
Também eu gosto de Lorde. Mas gostava que as pessoas estivessem um pouquinho mais atentas a tudo o que acontece fora da sua redoma de vidro.

Kapu disse...

Há qualquer coisa de esperançoso em Lorde aparecer, nesta lista, acima das Mileys e Justins desta vida.

Não tanto como se aparecesse Malala na frente da lista mas ainda assim...sinal que nem tudo está perdido, parece-me.

E disse...

Melody

Lorde é talento de algo que faz falta ao Homem. Malala é inspiração de um mundo melhor. E, no final, o talento não tem qualquer importãncia se não houver um mundo para o receber.

E disse...

Kapu,

Para os meus gostos, sim, ainda bem que Justins e Mileys não estão neste patamar. São putos com muito dinheiro que os desvirtuou, pelo menos na sua faceta mais publica. O dinheiro muda muita coisa. Com pena minha.