segunda-feira, 23 de junho de 2014

A História De Uma Tendência

Não me recordo quando ouvi pela primeira vez a frase: a moda é cíclica. De qualquer das formas não lhe liguei. Não lhe prestei atenção. Nem conseguia perceber como é que se podia um dia vir a querer usar coisas que ficaram lá atrás. Mas, a verdade, é que aquela frase era verdadeira.

Quando estava terminar o 12º muitos de nós, tipos, iriam usar fato pela primeira vez. Habituados a calças largas da Dickies e Carhartt, adquiridas em romarias a Lisboa clandestina aos nossos olhos enquanto sonhávamos andar de skate ali na Praça da Figueira. Muitos de nós escolhemos gravatas a combinar com os vestidos delas. Era o que menos nos preocupava. Mas o que levariamos calçado era uma questão importante. Ir de ténis e de fato ao baile de finalistas era cool. Todos queriam levar nos pés És, DC Shoes, Vans ou Etnies (quem não sabe o que são tenho alguma pena, ou sinal de que sou mais velho do que penso). Eram tempos em que Nike só para desporto e New Balance era para os mais velhos. Escolhiam-se atacadores. Era o DIY nos ténis. mudavam-se cores. Alguns fizeram-os combinar com as gravtas. Eu, pessoalmente, não tive a coragem. A minha rebelião passou por usar um fato com o casaco num estilo chinês e uns brogues bem engraxados. Mas admirei os meus colegas com os seus ténis e de fato. Eles eram cool. Não se conformavam às normas. Seriam jovens para sempre. Belos e rebeldes.

Anos e anos mais tarde o fato tornou-se a farda para muitos de nós. Uns até ousam usar slim jeans. Outros até se converteram a usar sapatos no fim-de-semana. Mas todos usamos ainda com orgulhos ténis. Temos a secreta esperança de um dia poder usar ténis com tudo. Tudo! A democracia do calçado. A ausência da descriminação em forma de calçado.

E os tempos podem ter chegado. Há já alguns anos que em editoriais se colocam ténis nos modelos quando vestem fato. Mas todos sabemos que isso é para inglês ver. Já o ano passado em Milão um senhor, senhor, de fato cinzento claro e New Balance cor de vinho a condizer com a gravata ganhou a minha atenção. E eu, como tinha admirado os meus colegas anos antes, admirei aquele senhor. New Balance com fato. Uma conjugação algo corajosa. Porque são uns ténis grandes. Visíveis. Que gritam atenção. Mas nada que a grande industria da moda não contorne. Smart kicks, chamam eles. Ténis pequenos, ajustados aos pés. Material de qualidade. Sóbrios. Ele é uma porrada de adjectivos para dizer que aquela combinação é vencedora.

É a vitória daqueles belos e rebeldes. Ainda bem que, para eles, a moda é cíclica. Porque nada é novo. Tudo se transforma. Não são os uber fashion peacock objectos da lente de tommy ton que inventaram a tendência de fatos beaspoke com common projects kicks. Foram aqueles putos que nos anos 90 ouviam rap e hardcore, tinham borbulhas na cara e cabelos descularado.

2 comentários:

Iva Araújo disse...

Etnies! Ish, já nem me lembrava disso... Não se vê ninguém isso agora, tristes.
Adoro que a Moda seja cíclica (sempre soube, dado o meu amor pela Moda) faz que use coisas que estão no armário há anos ou assalte o da mãe ou o da avó. Permite-nos que o passado tenha um ar mais cool.
Fato e ténis é AWESOME, sempre gostei dessa "rebeldia" e recomendo sempre para os mais ousados... You should try ;)

E disse...

Vê-se muito pouco, é verdade. e encontrar ainda é mais difícil. pelo menos eu não os consigo encontrar.